Cultura Tecnológica

Berço de importantes centros de inovaçãoRecife é atualmente um dos maiores polos tecnológicos do Brasil. A capital pernambucana tem um ecossistema de startups, uma agenda de hackatons, e após programa desenvolvido nas escolas municipais, até realiza campeonatos de robótica.

Tudo isso é fruto de um ambiente que proporciona o estímulo ao aprendizado de conhecimentos voltados à tecnologia, como festivais importantes (a exemplos do Campus Party e REC’n’Play), além de instituições e grupos organizados da sociedade civil que viabilizam experiências constantes para desenvolvimento de negócios, criação de soluções e capacitação (várias delas voltadas para a inclusão de mulheres) – listamos algumas delas aqui. Diante desse cenário, destacamos também que a abertura de dados públicos teria um papel impulsionador relevante para um impacto econômico e de modernização pública únicos no país.

〉Dados Abertos

Em julho de 2013, a Prefeitura do Recife firmou um convênio de cooperação técnica com a Universidade Federal de Pernambuco, o Porto Digital e Centro de Estudos de Sistemas Avançados do Recife (CESAR) para realização do concurso Soluções Inteligentes para a Cidade do Recife. O ato marcou o início da abertura de dados da PCR, que começaram a ser disponibilizados desde então.

〉Festivais

〉 Campus Party Recife (2012-2017)

A Campus Party Recife, evento de empreendedorismo e tecnologia, foi cancelada em 2017 após cinco anos de realização ininterruptos – período no qual a capital pernambucana entrou para o círculo internacional da feira, nascida na Espanha e que aconteceu em diversos países como Singapura, Índia, Itália, Inglaterra, EUA, México e Argentina. Durante sua realização, chegou a reunir 4 mil participantes no Centro de Convenções (Cecon), em Olinda, em 2015.

〉 Festival REC’n’Play (2017 – )

O REC’n’Play é uma realização do Porto Digital e da agência de comunicação Ampla e tem a prefeitura como principal parceiro apoiador. Totalmente realizado no Bairro do Recife, o festival tem como foco três áreas: educação, empreendedorismo e negócios e propõe três trilhas temáticas: Tecnologia, Economia Criativa e Cidades Inteligentes. Além de uma curadoria local, responsável pela formação das atividades em diversas áreas, o festival ainda conta com representantes de países como França, Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos, indicados em parceria com os respectivos consulados.

Em 2019, 35 mil pessoas se inscreveram nas mais de 500 atividades gratuitas, entre seminários, hackatons, debates, shows, oficinas, palestras e muita discussão sobre tecnologia, cidades, empreendedorismo e economia criativa.

💡 Saiba mais sobre o modelo do festival aqui e aqui.

» Gov in Play (2018 – )

O Gov In Play é um encontro dentro do Festival para discutir a inovação no setor público e entender os atuais caminhos que estão sendo traçados, os desafios e a construção de políticas de inovação aberta na busca pela excelência na entrega de serviços digitais, na desburocratização, e na ampliação do alcance das políticas públicas. Organizado pela EMPREL (Empresa Municipal de Informática do Recife) e ATI (Agência Estadual de Tecnologia da Informação do Estado de Pernambuco) o evento teve sua segunda edição em 2019, conta com duas trilhas especiais de debates e foi pensado para funcionar de forma colaborativa, envolvendo vários órgãos públicos e iniciativas da sociedade civil.

> Folha de Pernambuco destaca o Gov In Play como espaço para debater soluções tecnológicas para o Setor Público

〉 Startup Weekend Recife

O Startup Weekend é uma rede global de líderes e empreendedores de alto impacto em uma missão para inspirar, educar e capacitar indivíduos, equipes e comunidades: mais de 8.000 startups foram criadas nos eventos realizados em cerca de 100 países. O Startup Weekend Recife, sua versão local, foi iniciado em 2011, sendo um evento de imersão – uma experiência única, onde empreendedores e aspirantes à empreendedores podem descobrir se suas ideias de startups são viáveis. 

Basicamente, é um momento intensivo de trabalho em equipe que se destaca por reunir webdesigners, programadores, profissionais de marketing e de gestão para criarem startups em 54 horas. Saiba mais através da experiência de uma participante:

〉Movimentos e Instituições de Fomento

〉 Grupo Cintia – UFPE

O Cintia é o grupo de mulheres do CIn-UFPE, criado com o objetivo de ser uma rede de apoio entre todas as mulheres que fazem parte do Centro de Informática. Além disso, tem o objetivo de incentivar a participação feminina nas áreas da ciência, tecnologia e computação, promovendo ações para conquistar mais mulheres a ingressarem nestas áreas e disponibilizando o acompanhamento e amadrinhamento para incentivar as mulheres que já estão inseridas nesse universo: a grande meta é promover a igualdade de gênero na área de atuação do grupo.

🔊 Com 1 ano de atuação completados em agosto de 2019, o grupo lançou um podcast quinzenal de discussão e divulgação científica com foco em mulheres e tecnologia. 

〉 Encontro PUG

Evento periódico realizado pelo Grupo de Usuários de Python de Pernambuco (PUG-PE), e que já faz parte do calendário de eventos sobre tecnologia em Pernambuco, com mais de 60 edições, trazendo aos profissionais, entusiastas e acadêmicos palestras, práticas e discussões sobre a plataforma Python e suas aplicações em diversos nichos como web, sistemas embarcados, computação científica, etc. Lançada no começo dos anos 1990, a linguagem tem ganhado crescente notoriedade nos últimos anos, tornando-se uma das mais populares entre programadores e analistas de dados, principalmente pela sua funcionalidade com processamento, big data e inteligência artificial.

💡 Leia um artigo curto e didático e fique por dentro: “Por que o Python é a Linguagem mais adotada na área de Data Science ?

〉 PyLadies

O PyLadies é uma comunidade mundial que foi trazida ao Brasil com o propósito de ajudar mais e mais mulheres a se tornarem participantes ativas e líderes na comunidade open source Python. Em PE, também há um grupo do movimento.

〉 Women Who Code Recife

A Women Who Code – Recife faz parte de uma organização global dedicada a educar e inspirar as mulheres a buscar e destacar em carreiras tecnológicas. Confira matéria sobre a importância da iniciativa aqui.

〉 Instituto de Pesquisa em Direito e Tecnologia (IP.rec)

O IP.rec – Instituto de Pesquisa em Direito e Tecnologia do Recife, como think tank de estudos sobre direito e tecnologia, se propõe a investigar os fenômenos tecnológicos, em especial a Internet, sob uma perspectiva multissetorial e multidisciplinar. Para isso, visa estabelecer parcerias estratégicas para a produção de conteúdo, como livros, relatórios e estudos. Faz parte da missão do IP.rec, ainda, atuar junto às instituições de ensino, promovendo seminários, cursos de curta duração e capacitações voltados aos estudantes de direito, ciência da computação e para a sociedade em geral.

💡 Em 2019 o Instituto realizou uma contribuição à chamada pública para sugestões sobre o relatório do Painel de Alto Nível sobre Cooperação Digital da ONU e ainda enviou uma representação feminina local para o Fórum da Internet no Brasil.

> Minicurso da Escola de Governança da Internet – EGI Recife/IP.rec (Foto: Redes Sociais)

↪💡 Gostaria de sugerir alguma iniciativa para esta seção? Então entre em contato conosco!